FreeStyle Libre reduz níveis de HbA1c em pessoas com diabetes tipo 2

Pacientes que usaram o sensor de glicose entre três e seis meses reduziram a hemoglobina glicada em quase 1%

Para você paciente, preparamos um conteúdo exclusivo, clique aqui para acessá-lo.

Estudos apontam que o uso do sensor FreeStyle Libre reduz níveis de hemoglobina glicada (HbA1c ou A1c), promovendo melhora na qualidade de vida das pessoas com diabetes tipo 2 (DM2). Um estudo apresentado no congresso da Associação Americana de Diabetes (ADA) mostrou uma redução de quase 1% no resultado da HbA1c em pessoas com DM2 que utilizaram o sensor de glicose entre três e seis meses. O estudo1 analisou informações de 363 pessoas na França, Alemanha e Áustria, usuárias de insulina há mais de oito anos, e mostrou que a HbA1C média delas reduziu de 8,9% para 8%, ficando mais próxima da meta recomendada pelo ADA que é de 7% para adultos.

O estudo de Wright et al.2 também avaliou o efeito da monitorização contínua de glicose no controle glicêmico de pessoas com DM2 e concluiu que quanto maior a HbA1c, maior a redução proporcionada pelo uso do FreeStyle Libre. Em um artigo publicado na plataforma Diabetes no Alvo, o Dr. Freddy Goldberg Eliaschewitz comenta os resultados desse estudo. Clique aqui para ler.

Estudos de mundo real com pacientes adultos com DM2 tratados com insulina basal, mas sem o início da insulina em bolus, também demonstraram redução da HbA1c após uso do monitoramento flash da glicose. É o caso do estudo de Carlson, A. L.3 feito nos Estados Unidos e uma meta-análise de uma coorte maior dos Estados Unidos e Canadá que identificaram uma melhora significativa na HbA1c desses pacientes entre três e seis meses após o início do sensor. A melhora da HbA1c foi observada nos dois grupos analisados, divididos por faixa etária, índice de massa corporal, tempo de uso de insulina e sexo, sendo que mais da metade dos participantes apresentou HbA1c final menos que 8%.

Por sua vez, Miller, E., et al.4 (2020) analisaram os dados de pacientes com DM2 em tratamento com insulina de ação prolongada ou sem insulina e que usaram o sensor de glicose entre 6 meses e um ano. Todos os grupos observaram redução clinicamente significativa na HbA1c, sendo que a maior redução na HbA1c foi observada entre os pacientes sem insulina com 6 meses de uso do sensor que tiveram uma redução de 0,9% na hemoglobina glicada. Os demais grupos tiveram a HbA1c reduzida entre 0,6% e 0,8%, o que também é um resultado expressivo e demonstra os benefícios do uso prolongado do sensor de glicose.

Já Bergenstal R. M. et al.5 analisaram os bancos de dados IBM MarketScan Commercial Claims e Medicare Supplemental para avaliar o impacto do sensor em eventos e hospitalizações relacionados ao diabetes em uma coorte de 2.463 indivíduos com DM2 que estavam em uso de insulina rápida, a maioria com idade acima de 50 anos, com hipertensão e obesidade. Os resultados apontam redução nos eventos agudos relacionados ao diabetes e nas hospitalizações de pacientes internados por todas as causas, que ocorreram durante os seis primeiros meses após o uso do sensor.

 A importância da HbA1c

A hemoglobina glicada é o exame que avalia a média dos três últimos meses da glicemia e serve como parâmetro para indicar o risco de uma pessoa com diabetes desenvolver complicações a longo prazo.

O diabetes é uma doença crônica não transmissível, que acomete cerca de 16 milhões de pessoas no Brasil, segundo dados da Federação Internacional de Diabetes (IDF)6. A maior parte dessa população tem o  diabetes do tipo 2, quando o organismo não consegue usar adequadamente a insulina que produz ou não produz insulina na quantidade suficiente. Para alcançar o tempo no alvo, outro parâmetro usado no tratamento, é preciso adotar uma alimentação saudável, praticar atividade física, seguir o tratamento médico e aferir a glicose.

No portal Diabetes no Alvo, é possível assistir a aulas ministradas por profissionais de saúde no Programa Multidisciplinar de Acolhimento à Pessoa com Diabetes. O programa se divide em seis módulos sobre noções básicas do diabetes, monitorização da glicose, alimentação saudável, prática de atividade física e tratamento medicamentoso. Clique aqui para assistir.

Maior adesão ao tratamento

Outro estudo publicado na prestigiada revista Diabetes Care, avaliou a satisfação de pessoas com diagnóstico de DM2 há menos de um ano em relação ao tratamento e à eficácia do sistema FreeStyle Libre7.

No total, 101 usuários de insulina com idade entre 30 e 80 anos participaram do estudo por 10 meses, período em que receberam orientações médicas para ajustar suas doses de insulina e foram instruídos a escanear o sensor para obter o valor da glicose pelo menos a cada 8 horas. A satisfação com o sistema de monitoramento contínuo de glicose foi relatada por 82 pacientes. Além disso, 68,6% dos pacientes tiveram a HbA1c reduzida em 0,5% e 39,2% tiveram sua HbA1c reduzido em cerca 1%.

Instalado no braço e trocado somente a cada 14 dias, o sensor de glicose FreeStyle Libre permite que o usuário escaneie a glicose várias vezes por dia sem precisar furar os dedos. Além disso, o sensor gera resultados, tendências e padrões em tempo real para que a pessoa possa tomar decisões mais assertivas e melhorar a qualidade de vida.

Referências

1. Site da Abbott. Disponível em: https://abbott.mediaroom.com/2019-06-08-New-Data-Show-Use-of-Abbotts-FreeStyle-R-Libre-System-Significantly-Reduces-HbA1c-Levels-in-People-Living-with-Type-2-Diabetes

2. Artigo comentado do Dr. Freddy Goldberg Eliaschewitz. Impacto do FreeStyle Libre (Flash CGM) no controle metabólico de pacientes com diabetes tipo 2 tratados com insulina basal ou sem tratamento com insulina. Disponível em: https://www.diabetesnoalvo.com.br/estudo-comentado-freestyle-libre-e-controle-metabolico-de-pacientes-com-dm2-por-dr-freddy-goldberg/

3. Carlson, A. L. BMJ Open Diabetes Research & Care (2022). Disponível em: https://doi.org/10.1136/bmjdrc-2021-002590

4. Miller, E., et al. (2020). “84-LB: HbA1c Reduction after Initiation of the FreeStyle Libre System in Type 2 Diabetes Patients on Long-Acting Insulin or Noninsulin Therapy.” Diabetes 69 (Supplement 1): 84- LB. Disponível em: https://diabetesjournals.org/diabetes/article/69/Supplement_1/84-LB/56726/84-LB-HbA1c-Reduction-after-Initiation-of-the

5. Bergenstal, R. M., et al. (2021). “Flash CGM Is Associated With Reduced Diabetes Events and Hospitalizations in Insulin-Treated Type 2 Diabetes.” Journal of the Endocrine Society(2021). Disponível em: https://academic.oup.com/jes/article/5/4/bvab013/6126709

6. International Diabetes Federation. IDF Diabetes Atlas 10th edition. 2021. [acesso em maio de 2023]. Disponível em: https://diabetesatlas.org/atlas/tenth-edition/

7. Yaron M, Roitman E, Aharon-Hananel G, Landau Z, Ganz T, Yanuv I, et al. Effect of Flash Glucose Monitoring Technology on Glycemic Control and Treatment Satisfaction in Patients With Type 2 Diabetes. Diabetes Care. 2019;42(7):1178-84.

ADC-79379.V1.0.Jan/2024

Exclusivo para profissionais da saúde. A estrutura do sensor, FreeStyle Libre e marcas relacionadas são marcas da Abbott. Outras marcas registradas são de propriedade de seus respectivos donos. FreeStyle Libre Leitor - RMS ANVISA: 80146501903 | ANATEL: 4072-14-9992. FreeStyle Libre Sensor - RMS ANVISA: 80146502021. FreeStyle LibreLink - RMS ANVISA: 80146502168. LibreView e LibreLinkUp - RMS ANVISA: 80117580705. Produto cadastrado por EMERGO BRAZIL IMPORT IMPORTACAO E DISTRIBUICAO DE PRODUTOS MEDICOS HOSPITALARES LTDA. Abbott Center: 0800 703 0128

 

2024 © ABBOTT LABORATÓRIOS DO BRASIL.  PLATAFORMA DE CME. ADC-33354. V03. Maio/2023

DESENVOLVIDO POR CLANNAD EDITORA CIENTÍFICA.

top